NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Os dados publicados esta segunda-feira pelo Eurostat revelam ainda que o registo de novas empresas permaneceu quase o mesmo em comparação com o trimestre anterior, com uma redução de 0,4%.

O número de declarações de falências na União Europeia diminui 1,2% no quarto trimestre do ano passado face ao trimestre anterior. Os dados publicados esta segunda-feira pelo Eurostat revelam ainda que o número de novas empresas permaneceu quase o mesmo em comparação com o trimestre anterior, com uma redução de 0,4%.

 

“Isto ocorre depois do instável segundo e terceiro trimestres de 2020, quando o número de novos registos de empresas caiu para o ponto mais baixo desde o início da série e depois recuperou”, explica o organismo de estatística europeu.

 

Na comparação anual, o número de registos de novas empresas aumentou 2,8% na União Europeia no quarto trimestre do ano passado face ao mesmo trimestre de 2019, enquanto o número de falências registadas diminuiu 17,9%.

 

O Eurostat assinala que a diminuição de registos e falências nos dois primeiros trimestres do ano passado pode ser explicada em grande parte por as administrações responsáveis pelos novos registos e falências não estarem temporariamente disponíveis ou encerradas, devido às restrições em vários países, o que levou a que “esses eventos não puderam ser imediatamente reportados, mas com um atraso”.

 

O organismo de estatística dá ainda nota de que os governos também podem ter dado mais tempo para a conclusão dos procedimentos administrativos. Paralelamente refere ainda que “o número relativamente baixo de falências em muitos países pode ser explicado pelas medidas governamentais de apoio às empresas durante a crise, que podem ter permitido que empresas que, de outra forma, teriam declarado falência continuassem as suas atividades”.

Partilhar