NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O Município de Pombal aderiu à Rede de Apoio ao Investidor da Diáspora (RAID) com o objectivo de “promover, informar e apoiar o empreendedorismo da diáspora, em articulação com o gabinete de Apoio ao Investidor da Diáspora, no seu duplo potencial enquanto origem e destino de micro e pequeno investimento dirigido a Portugal, e enquanto plataforma de internacionalização de iniciativas locais e regionais”, revela a autarquia em nota de imprensa.

De acordo com a mesma nota, com esta adesão, homologada pelo secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, Paulo Cafôfo, “o município assume, entre outros, o compromisso de realizar um trabalho metódico de identificação, mapeamento e listagem dos investimentos existentes ou que venham a ser realizados nos respectivos concelhos, que sejam oriundos das comunidades portuguesas e de empresários da diáspora, partilhando a informação no âmbito da Rede”. Assim como “identificar boas práticas e avaliação dos resultados de investimentos oriundos da diáspora e através da diáspora e a sua posterior divulgação, através das redes internas e externas”.

 

Caberá ainda ao município “promover, sempre que possível, parcerias com entidades (por exemplo, comunidade intermunicipal, associações empresariais regionais, fundações), que desenvolvam iniciativas, projectos ou concursos ligados ao empreendedorismo da diáspora”.

 

Por sua vez, cabe à RAID dar contributos para a implementação do Programa Nacional ao Investimento da Diáspora (PNAID), partilhar informação relevante para o mesmo e avaliar a sua execução. A Rede manterá uma articulação regular com o tecido empresarial da diáspora através da Rede Diplomática e Consular, assim como das redes externas da AICEP (Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal) e do Turismo de Portugal.

 

O PNAID é dirigido a emigrantes portugueses e lusodescendentes que queiram investir ou alargar a sua actividade económica em Portugal, bem como a empresas nacionais que queiram internacionalizar os seus negócios através da diáspora.

Fonte: Jornal Terras de Sicó

Partilhar