NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Um primeiro passo é a definição de uma política de investimento responsável que permita definir um quadro de referência e critérios nas decisões de investimento da empresa.

Para atingir os objetivos de sustentabilidade, as empresas podem optar por integrar critérios ESG (Environmental, Social and Governance) na sua atividade. Não descurando a importância fundamental da sustentabilidade ambiental e social, é importante apostar num modelo robusto de Governance para assegurar uma gestão ética e transparente.

 

Os modelos de Governance desenvolvem-se a partir do sistema legal do país em que a empresa está inserida, mas na sua essência são sobre pessoas e processos.

 

Um primeiro passo é a definição de uma política de investimento responsável que permita definir um quadro de referência e critérios nas decisões de investimento da empresa, assim como incorporar aspetos ESG, não apenas no seu processo de due diligence, mas igualmente ao longo de toda a vida útil dos projetos.

 

A implementação de políticas contra a corrupção, branqueamento de capitais e financiamento ao terrorismo, é um passo importante, sendo fundamental a criação de processos que permitam a sua transposição para a operação diária da empresa.

 

A nomeação de um responsável pelo cumprimento normativo junto do Instituto dos Mercados Públicos, do Imobiliário e da Construção (IMPIC) para as empresas associadas ao imobiliário, e a nomeação de um encarregado de proteção de dados pessoais, são decisivas para assegurar a monitorização das políticas e a sua revisão recorrente, assim como o cumprimento da lei de proteção de dados pessoais. A adesão de colaboradores e parceiros, mas acima de tudo, a sua formação, são também aspetos cruciais a considerar para que a implementação das políticas tenha sucesso, assim como para assegurar o seu cumprimento.

 

Acreditamos que uma empresa com um modelo de Governance robusto tem maior capacidade para lidar com os principais riscos que enfrenta, incluindo questões ambientais e sociais.

 

Independentemente da estrutura corporativa que esteja em vigor na empresa, a aposta num modelo de Governance e Compliance vai permitir uma gestão mais transparente para os stakeholders e diminuir a sua exposição ao risco, sendo essencial manter o foco no negócio e contribuir para o retorno dos detentores de capital.

Partilhar