NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Portugal já ultrapassou o número de carregamentos de elétricos realizados em 2021. Até 26 de setembro, foram efetuados mais de 1,6 milhões de carregamentos na rede pública Mobi.E.

Portugal atingiu um novo máximo no número de carregamentos de carros elétricos. Até 26 de setembro, foram realizados mais de 1,6 milhões de carregamentos na rede pública Mobi.E, um valor que contrasta com os cerca de um milhão de carregamentos acumulados em 2021.

 

“O crescimento é muito significativo”, afirmou o ministro do Ambiente e da Ação Climática, Duarte Cordeiro, durante o seu discurso de abertura do Portugal Mobi Summit, na Nova SBE, em Cascais, acrescentando que Portugal deverá “continuar a bater recordes” em matéria de carregamentos elétricos até ao final do ano. Em julho, a rede pública Mobi.E já tinha assinalado um disparo de 87% no número de carregamentos de carros elétricos para 222.945, tratando-se de o valor mensal mais elevado desde de que a rede foi constituída, em 2015.

 

Segundo o governante, os 1,6 milhões de carregamentos acumulados até setembro traduzem-se num consumo superior a 24 mil megawatts (MW) de eletricidade, muito acima dos 13 mil MW de eletricidade registados no mesmo período do ano passado. “Falamos de quase seis mil tomadas disponíveis em toda a rede de carregamento”, frisou.

 

No mesmo momento, o ministro apontou que este valor resultou numa quebra de 7,3 milhões de litros de gasóleo consumidos pelo setor rodoviário — “num momento em que o país precisa que esta redução aconteça” — e ainda numa diminuição da pegada ecológica dos transportes terrestres de 19,5 mil toneladas de dióxido de carbono (CO2). Em 2021, esse valor tinha-se situado 9,5 mil toneladas de CO2. “Isto equivale ao carbono absorvido por uma floresta com mais de 323 mil árvores adultas”, afirmou durante a sua intervenção.

 

Para o ministro, a mobilidade sustentável “é uma área central deste Governo” e por isso a prioridade passa por não só reforçar a rede de carregamentos — “existem atualmente postos de carregamento em todos os 308 municípios“, explicou– como também acelerar os incentivos à compra deste tipo de veículos elétricos, singulares e coletivos que, desde 2017, já atingiram os 16 milhões de euros. “Já apoiamos com o apoio de introdução ao consumo cerca de 4.400 veículos elétricos, até 2021”, acrescentou.

Partilhar