NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Foi assinado esta quinta-feira em Ponta Delgada, no decorrer do Congresso da APAVT, o protocolo para a contratualização da Promoção e Comercialização Turística Externa, que reforça em 13,5 milhões de euros as verbas para a promoção externa de Portugal até 2021.

A escolha do Congresso da APAVT para palco da assinatura deste protocolo, segundo a secretária de Estado do Turismo, deve-se à importância de que se reveste o congresso dos agentes de viagens que reúne sempre responsáveis das mais diversas áreas do turismo.

 

Ao abrigo do protocolo que foi assinado pela secretária de Estado do Turismo, presidentes do Turismo de Portugal e da CTP e presidentes das sete Agências Regionais de Promoção Turística e também das respectivas Entidades Regionais de Turismo, os orçamentos das ARPTs vão ter um aumento anual de 37,5%, o que corresponde a 4,5 milhões de euros, passando dos actuais 12 milhões para 16,5 milhões de euros anuais. Contas feitas, o orçamento das ARPT aumenta 13,5 milhões de euros no conjunto dos próximos três anos.

 

Parte deste aumento, equivalente a 1,5 milhões de euros, será aplicado no reforço dos orçamentos das ARPT do Porto e Norte, do Centro, do Alentejo e dos Açores “para promover uma maior convergência face aos orçamentos das restantes agências regionais”.

 

De acordo com o protocolo, haverá também um aumento de 3 milhões de euros, que estará ao dispor de todas as ARPT, que será alocado ao financiamento dos Planos de Produto e Mercado, ou seja, dos planos de promoção conjuntos das ARPTs e empresas tendo em vista “uma actuação concertada e focada em produtos específicos ou mercados considerados prioritários”.

 

Para a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, “este aumento de verbas, decidido em conjunto no Conselho Estratégico da Promoção Turística, é muito importante e vai permitir reforçar a promoção de Portugal no estrangeiro. Este reforço, válido para os próximos três anos, foi elaborado de acordo com os objectivos da Estratégia Turismo 2027, ao dedicar especial atenção às regiões que são tradicionalmente menos turísticas e ao criar um mecanismo que permite diversificar mercados e promover activos estratégicos de cada região”.

Partilhar