NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A China começa a levantar timidamente as restrições impostas pelo Covid-19. O país que mantém os controlos mais rígidos devido à pandemia facilitou os requisitos de entrada para viajantes de negócios, embora permaneça praticamente fechado para turistas estrangeiros.

Assim, desde 01 de julho passado, as autoridades chinesas aboliram a exigência de apresentação da carta convite (conhecida como PU Letter) para a aplicação de vistos chineses de trabalho e reagrupamento familiar.

 

A Carta PU é uma carta-convite criada durante a pandemia que permite que qualquer empresa chinesa que queira convidar um estrangeiro deve receber do Gabinete de Relações Exteriores (FAO) correspondente (cada província chinesa tem o seu), para permitir que o hóspede solicite um visto no seu respetivo país. A partir do momento em que é solicitada, pode levar até seis semanas para o receber.

 

Especificamente, esta carta não será mais necessária para estrangeiros envolvidos em atividades comerciais, educacionais, científicas e tecnológicas, desportivas ou culturais na China ao solicitar um visto comercial ou de visita.

 

Esta medida, no entanto, não abrange as viagens de lazer. A China continuará praticamente fechada ao turismo internacional, embora as autoridades tenham diminuído o período de quarentena para estrangeiros que queiram visitar o país de 14 para sete dias, que obviamente têm de estar vacinados contra a Covid-19.

Partilhar