NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

É na bacia portuguesa do rio Douro que se encontram os mais recentes investimentos da Engie, Crédit Agricole Assurances e de um consórcio formado pela Mirova (que gere a Natixis) e Banca March. Segundo avança a Europa Press, estas três entidades compraram um total de seis centrais hidroelétricas em Portugal, de forma a reforçar a carteira de ativos de produção de energias renováveis.

A mesma agência noticiosa adianta que o negócio está avaliado em mais de 2,2 mil milhões de euros, sendo que o capital de investimento é dividido entre 40% da Engie, 35% do Crédit Agricole Assurances e 25% do consórcio.

 

Os ativos em questão estão em funcionamento e apresentam uma capacidade instalada de 1,7GW. É estimada uma vida útil de mais 45 anos.

 

Do lado da Banca March, o objetivo será sugerir as centrais hidroelétricas como proposta de investimento para os seus clientes, com um período temporal de oito anos. «Estre projeto de co-investimento permite aos nossos clientes a oportunidade de investir junto com a Banca March e de mãos dadas com grandes atores internacionais na geração e investimento em energias sustentáveis», aponta Juan Antonio Roche, sub-diretor da Banca March e diretor da área de Produtos.

Partilhar