NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Mais de 50% dos europeus inquiridos num questionário realizado pela entidade europeia de turismo sobre viagens em altura de pandemia diz pretender viajar nos próximos seis meses, um terço dos quais já na Primavera, e principalmente para lazer.

O inquérito, realizado no final do ano passado pela European Travel Commission (ETC) e agora divulgado, revela que 52% dos questionados afirmam ter planos para viagens de curta duração ou querer viajar nos próximos seis meses, segundo os resultados hoje divulgados por aquela entidade à imprensa.

 

Apesar de se assistir a novos ressurgimentos da covid-19 na União Europeia (UE), o que tem motivado também novas medidas restritivas para conter os surtos, a confiança dos viajantes europeus tem vindo a melhorar, sendo que 32% dos inquiridos indicaram que pretendem fazer uma viagem já na Primavera.

 

Neste questionário, relativo ao Sentimento de Monitorização de Viagens Domésticas e Intraeuropeias, apenas 12% dos respondentes disseram querer viajar entre Janeiro e Fevereiro.

 

Viajar... lá fora!

 

“A confiança nas viagens aéreas também parece estar a aumentar constantemente: 52% dos europeus declaram agora que estão dispostos a viajar de avião, em comparação com 49% em Setembro”, observa a ETC no comunicado, atribuindo esta melhoria das intenções dos turistas europeus aos processos de vacinação contra a covid-19 em curso na UE e às facilidades dadas para reservas de transporte e alojamento.

 

Quanto aos destinos, “há mais inquiridos dispostos a fazer uma viagem a outro país europeu (40%) do que viagens domésticas (36%)”, ou seja, no seu próprio país, acrescenta.

 

O principal motivo apontado para estas viagens de curta duração é o lazer (63%), seguindo-se a visita a amigos e familiares (21%) e as viagens de negócios (9% dos inquiridos).

 

Para a ETC, estes dados revelam que “protocolos rigorosos de saúde e segurança criam confiança e paz de espírito e tornam as viagens mais agradáveis”, numa altura em que a pandemia de covid-19 ainda não está controlada.

 

“Cerca de 67% dos inquiridos sentem-se suficientemente seguros e relaxados para desfrutar da sua viagem quando os protocolos rigorosos estão em vigor e apenas 22% dos europeus afirmam que tais medidas podem, até certo ponto, estragar a experiência de viagem, enquanto outros 11% afirmam que não lhes faz diferença”, elenca o organismo.

 

Porém, segundo a entidade europeia de turismo, “as medidas de quarentena, o aumento dos casos de covid-19 no destino e um eventual adoecimento durante as férias continuam a ser as principais preocupações para 15%, 14% e 14% dos europeus com planos de viagem a curto prazo, respectivamente”.

 

A ETC promoveu, entre 20 de Novembro e 03 de Dezembro, inquéritos a 5.742 cidadãos da UE.

 

A ETC integra o Turismo de Portugal e outros organismos de promoção turística a nível nacional e europeu. Actualmente, é liderada pelo presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo.

Partilhar