NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Presidente executivo da petrolífera, Andy Brown, já tinha referido que os investimentos no Brasil preveem o aumento da produção de petróleo, com novas unidades, e que a empresa quer ganhar posição no mercado de gás natural do país.

O administrador da Galp Thore E. Kristiansen afirmou esta segunda-feira que o projeto do campo de petróleo em Bacalhau, um dos investimentos da petrolífera no Brasil, está a correr "muito bem", acrescentando que na China foram verificados alguns constrangimentos.

 

"O projeto Bacalhau está a correr muito bem. Tivemos alguns problemas na China, face à covid-19. Apesar de tudo, está a correr bem. Está tudo controlado", afirmou hoje Thore E. Kristiansen, que falava numa sessão online com os analistas.

 

No início do ano, o presidente executivo da petrolífera, Andy Brown, já tinha referido, em Lisboa, que os investimentos no Brasil preveem o aumento da produção de petróleo, com novas unidades, e que a empresa quer ganhar posição no mercado de gás natural daquele país.

 

A Galp está presente no Brasil desde 1999, com projetos em fase de exploração, avaliação, desenvolvimento e produção.

 

Segundo a informação disponibilizada no site da empresa, os projetos estão localizados em Barreirinhas, Pemambuco, Campos e Santos.

 

Em particular, o bloco BM-S-8, Bacalhau e o projeto Bacalhau Norte, envolvem um consórcio que inclui a Galp (20%), através da Petrogal Brasil, Equinor (40%) e ExxlnMobil (40%).

 

Os lucros da Galp subiram 153% no primeiro semestre, face a igual período de 2021, para 420 milhões de euros, com os resultados a refletirem um "desempenho operacional robusto", divulgou hoje a empresa.

 

Este valor compara com o resultado líquido de 166 milhões de euros no ano passado.

Partilhar