NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Nos primeiros seis meses do ano, a empresa alemã intermediou um total de 292 operações e registou um volume de negócios recorde de 119,3 milhões de euros.

A empresa privada alemã do sector imobiliário Engel & Völkers revelou, esta terça-feira, que no primeiro semestre de 2022 obteve um crescimento de 72,7%, com o volume de negócios a disparar 125% para 120 milhões de euros.

 

Em comunicado, a empresa diz que “registou um volume de negócios recorde de 119,2 milhões de euros, uma subida de 124,8% no volume de intermediação face ao mesmo período do ano passado”.

 

Nos primeiros seis meses, a Engel & Völkers “intermediou um total de 292 operações” imobiliárias.  “Destas, 228 referem-se a operações de venda, o que representa um crescimento de 72,7% face ao mesmo período de 2021, e 64 foram operações no mercado de arrendamento de primeira qualidade (mais 23,1%). O volume de arrendamentos premium registou um crescimento significativo no semestre, na ordem dos 55%, o que representa um valor superior a 1,4 milhões de euros”, informa a empresa.

 

Sobre os resultados, Juan-Galo Macià, Presidente da Engel & Völkers para Espanha, Portugal e Andorra, destaca que “a robustez dos nossos resultados excedeu as nossas previsões mais otimistas. Em apenas seis meses conseguimos superar o volume total registado nos 12 meses de 2019, antes da pandemia (107 milhões em 2019)”.

 

“Do lado da oferta também se observa alguma escassez, em particular de propriedades no segmento premium, o que pressiona a subida dos preços quer na venda, quer no arrendamento”, refere Juan-Galo Macià.

 

A multinacional alemã espera chegar a dezembro com o maior volume de negócios de sempre em Portugal, superando os 168 milhões de euros alcançados em 2021.

 

Quanto ao futuro, Juan-Galo Macià admite “continuar a reforçar os nossos investimentos tecnológicos, a aumentar o número de consultores imobiliários que colaborem sob a nossa marca”, bem como continuar a expansão do grupo em Portugal, assente no que considera ser o “bem-sucedido modelo de negócio” do grupo.

Partilhar