NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Uma investigadora do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC) desenvolveu modelos matemáticos que fazem diminuir os erros de previsão na produção de energia elétrica renovável, revelou o instituto do Porto em comunicado.

O trabalho desenvolvido por Carla Silva Gonçalves é um dos três finalistas dos Prémios Europeus de Energia Sustentável, que está a ser promovido pela Comissão Europeia e que visa fomentar a transição energética.

 

“Apesar das energias renováveis, como a eólica ou a solar, terem muitos benefícios, há desafios que precisam de ser superados devido à sua dependência de variáveis atmosféricas”, refere a investigadora em comunicado.

 

Segundo a investigadora, além das condições meteorológicas, as energias renováveis enfrentam desafios a nível da partilha de dados entre os diferentes atores do sistema elétrico, daí ter desenvolvido um modelo de previsão colaborativo.

 

Através deste modelo pode haver uma integração “em ferramentas digitais para ajudar as tomadas de decisão no sentido de aumentar a participação de fontes de energia renovável e reduzir o desperdício dessa energia”, explica a investigadora.

Partilhar