NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

As vendas online estão a diminuir em todo o mundo. Em países como a Bélgica, a Alemanha e os Países Baixos, os decréscimos ascendem a cerca de um quarto, agora que as lojas físicas estão novamente abertas sem restrições.

Além disso, os compradores online estão mais frequentemente apenas a navegar, não concluindo a compra.

No segundo trimestre deste ano, as lojas online receberam, em média, menos 2 % de visitantes, em todo o mundo, enquanto o número de encomendas diminuiu 6 % e as despesas totais foram 4 % inferiores. Estas são algumas das conclusões da pesquisa da Salesforce sobre o comportamento de mil milhões de compradores em mais de 60 países.

 

Declínio

O declínio pode ser explicado pela pandemia, que catapultou o comércio eletrónico para níveis sem precedentes, quando as lojas físicas foram forçadas a permanecer fechadas em muitos países. A redução da confiança dos consumidores, devido à elevada inflação, contribuirá também para o anunciado declínio.

Por exemplo, no primeiro trimestre, o crescimento do comércio eletrónico nos Países Baixos diminuiu 27 %, face ao mesmo período de 2021. Nessa altura, a taxa de crescimento era de 25 % em relação ao ano anterior. Globalmente, houve uma queda de 2 %.

O segundo trimestre revelou mais do mesmo: embora a situação no Reino Unido tenha estabilizado um pouco (- 8 %), as vendas online em França e na Alemanha tiveram um impacto de menos 20% a 25 %.

 

9 em 10 deixam carrinho de compras para trás

Tal como os clientes costumam fazer offline, a Internet está a tornar-se um local para navegar, sem realmente encomendar. Apenas um quinto das encomendas são feitas.

Quase nove em cada dez cestos de compras digitais são simplesmente deixados para trás. O fenómeno dos cestos de compras abandonados é mais forte para artigos de design de interiores e menos para a alimentação.

Partilhar