NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Até ao final de 2022 a Airbus Atlantic Portugal espera ter 150 trabalhadores e prevê a criação de mais de 250 postos de trabalho no próximo ano. A gigante mundial tem 35 fornecedores em Portugal e assegura que o país está no mapa dos seus investimentos.

As instalações da Airbus Atlantic Portugal, em Santo Tirso, onde já estão a trabalhar mais de 100 pessoas, vão ser inauguradas na quarta-feira. É mais um passo para aprofundar a presença da Airbus em Portugal, que começou a apostar no território nacional em 2018.

 

A subsidiária portuguesa da Airbus Atlantic, a maior empresa do mundo de assentos de pilotos, produz peças para as famílias Airbus A320 e A350. Portugal, avança a Airbus, "é um player chave do seu modelo industrial". A inauguração ocorrerá na presença do presidente, Cédric Gautier, do administrador operacional Alberto Gutierrez, e o primeiro-ministro, António Costa.

Cédric Gautier não quis avançar o montante do investimento feito pela Airbus em Santo Tirso, mas em declarações à imprensa portuguesa, o gestor afirmou que os valores andam próximos dos 40 milhões de euros já noticiados.


Com clientes como a ATR, Bombardier, Dassault Aviation, Embraer e Guimbal, a Airbus Atlantic espera chegar aos 150 trabalhadores até ao final de 2022, "prevendo a criação de mais de 250 postos de trabalho altamente qualificados nos próximos anos, como forma de resposta ao potencial de desenvolvimento da sua atividade em Portugal", afirma a gigante mundial em comunicado.

Depois de concluídas, as instalações de Santo Tirso ocuparão 20.000 metros quadrados. O presidente da Airbus Atlantic admitiu que o investimento na fábrica de Santo Tirso pode duplicar de capacidade, uma vez que só está a ser usado metade do terreno adquirido. Gautier esclareceu também que é comum a Airbus duplicar a capacidade neste tipo de investimentos, foi o que fez em outras geografias.

 

A construção desta fábrica, a 30 quilómetros do Porto, arrancou em 2020, ano em que começou também a produção. Em comunicado, a Airbus justifica a escolha de Santo Tirso com a “proximidade a um ambiente empresarial saudável” e "a estruturas logísticas como o aeroporto do Porto e o porto de Leixões". A Airbus salienta ainda a existência de trabalhadores "com grande vocação industrial e uma formação de grande qualidade".

 

Guatier salientou também o talento e a facilidade de aprendizagem dos trabalhadores, afirmando que no binómio qualidade e preço da mão-de-obra, Portugal sai favorecido em relação à França e à África do Norte, onde a Airbus tem fábricas.

Atualmente, a Airbus Atlantic Portugal já produz para as secções de fuselagem frontal da família A320, painéis de fuselagem frontal para a família A350, e painéis e molduras para a porta de carga da família A320.

 

Os programas da Airbus em Portugal geram cerca de mil empregos diretos, e quatro mil indiretos. E a multinacional europeia da aviação afirma que Portugal "está a bordo de todos os programas comerciais da Airbus" e tem presença ativa, por exemplo, nos quadro elétricos de helicópteros, sendo que todas as divisões da empresa têm abastecimento no país.

 

APOSTA NO CRESCIMENTO E NOS FORNECEDORES

"A Airbus tem uma presença sólida em Portugal e continua a crescer graças aos seus parceiros, fornecedores e clientes locais, estando a ganhar relevância enquanto empresa criadora de emprego (direto e indireto). A Airbus Atlantic Portugal faz parte deste sistema industrial coerente e integrado, com o objetivo de desenvolver gradualmente uma forte competência no fabrico de aeroestruturas no norte do país", afirma a empresa em comunicado.


A Airbus, recorde-se, tem na sua cadeia de produção 35 fornecedores que operam em Portugal, a quem comprou €65 milhões em 2021 e quer comprar mais. Entre os principais fornecedores da Airbus estão a Lauak, a Mecachrome, a Caetano e a Critical Software.

 

Os gastos (salários, despesas gerais, impostos, compras) da Airbus em Portugal cresceram, em média, anualmente 16% entre 2018 e 2021 e o grupo estima que cresçam 25% ao ano até 2025. Se tudo correr como previsto, os gastos em Portugal vão subir para os €220 milhões em três anos, mais que duplicando face a 2021.


 

A Airbus abriu no ano passado em Lisboa o seu Global Business Services Center, que emprega especialistas nas áreas de finanças, recursos humanos, compras, gestão de informação, engenharia, comunicação, serviços ao cliente, jurídico e compliance. O objetivo deste centro global é ter uma equipa de 800 colaboradores, em 2025.

 

A Airbus Atlantic tem 13 mil funcionários em cinco países e três continentes e um volume de negócios estimado em cerca de 3,5 mil milhões de euros.

 

Atualizado às 19.20 com declarações do presidente executivo, Cédric Gautier.

Partilhar