NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A secretária de Economia, Tatiana Clouthier, apresentou o plano de apoio à economia do Governo do México, com o qual se pretende uma recuperação da crise atual provocada pela pandemia da COVID-19.

Tatiana Clouthier Carrillo, que se juntou ao executivo mexicano no passado dia 4 de janeiro, sucedendo a Graciela Márquez Colín como titular da pasta da Economia, apresentou esta semana, em conferência de imprensa, o Plano de Reativação Económica.

 

O plano inclui quatro eixos estratégicos que foram descritos por Clouthier Carrillo como "fundamentais" e que vão ao encontro do “Plano Nacional de Desenvolvimento” nos temas da inovação, da diversificação e da inclusão.

 

Os quatro eixos do plano de reativação são os seguintes:

 

1) Mercado interno, emprego e negócios

Dinamizar os setores inovadores e Indústria 4.0 em conjunto com os setores tradicionais exportadores, procurando o aumento do valor acrescentado local; Incentivos fiscais; Desenvolvimento de cadeias produtivas e plataformas de fornecedores nacionais; Ligar grandes empresas com médias e pequenas empresas com programas de garantia; Apoio às MPME com capacitação e atualização digital, um novo programa de apoio aos pequenos negócios, e aos negócios liderados por mulheres, extensão do programa de créditos em curso entre outros programas para pequenas empresas e negócios particulares como os fabricantes de tortilhas e os restaurantes.

 

2) Promoção e facilitação de investimento

Simplificar os procedimentos de forma que se alcance, pelo menos, uma redução de 14 por cento dos custos, conforme indicação da OMC; Atrair investimento estrangeiro em diferentes pontos do país, com o apoio em coordenação do sector público e setor privado e fundos de investimento locais; Promover investimentos em infraestrutura; Consolidação da América do Norte com o T-MEC e atração de investidores estrangeiros/relocalização para usufruírem do T-MEC.

 

3) Comércio internacional

Promoção do comércio exterior e defesa dos interesses comerciais do México, negociando e implementando acordos comerciais; Aumento das exportações e diversificação de mercados; Criação do Comité Nacional de Facilitação do Comércio que permitirá a otimização de tempos de resposta e tramites.

 

4) Regionalização e setores

Apoio às sete regiões do país; Continuação de estímulos fiscais na fronteira sul aproveitando estas vantagens para investimento; Projetos de infraestrutura prioritários e fomento de negócios paralelos com as diferentes câmaras empresariais, bem como criação de emprego; Comercialização de produtos das regiões sul-sudeste no norte e centro do país; Reconversão de competências tecnológicas em setores mais marginalizados; Dar prioridade a setores estratégicos e de alto impacto para a criação de empregos: têxtil, calçado, comércio, agro, alimentos e bebidas, etc., indústria automóvel, máquinas e ferramentas, mobilidade futura, indústria maquilhadora, o setor acadêmico e setores de plataforma do futuro.

 

A conferência de imprensa pode ser visualizada aqui.

Partilhar