NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

"Muitas empresas querem desenvolver-se nos mercados lusófonos, sendo uma plataforma para os restantes países de língua oficial portuguesa", explicou Richard Gomes, diretor do Business France em Portugal e em Espanha.

No Senado francês começou esta quinta-feira, 29 de setembro, um Fórum de Negócios entre 200 empresas francesas e portuguesas que querem conhecer-se e cooperar mais, com Portugal a colocar-se como um país central para as empresas gaulesas em tecnologia e ambiente.

 

"Hoje em dia, Portugal é central para o desenvolvimento das empresas francesas na Europa, porque Portugal é um dos países com maior taxa de crescimento, entre 6 a 7% este ano, e muitas empresas querem desenvolver-se nos mercados lusófonos, sendo uma plataforma para os restantes países de língua oficial portuguesa", explicou Richard Gomes, diretor do Business France em Portugal e em Espanha, em declarações à Agência Lusa.

 

O Business France é o equivalente da AICEP em Portugal, sendo um órgão oficial da administração gaulesa com cerca de 70 escritórios espalhados no Mundo para promover as empresas francesas e o investimento em França.

 

O Fórum de Negócios que começou quinta-feira no Senado francês, em Paris, e vai durar até sexta-feira, é uma iniciativa do Business France integrado na Temporada Cruzada entre França e Portugal que desde fevereiro tem aproximado os dois países.

 

"Neste ano de 2022, há uma relação especial entre a França e Portugal e hoje é uma oportunidade de desenvolver as relações entre os dois países, procurando complementaridades quer seja no ambiente, na tecnologia, nas relações entre as pessoas, e, no Senado, é importante mostrar esta ligação aos territórios que se desenvolvem através da cooperação das nossas empresas", afirmou Louis-Jean de Nicolay, senador da região de Sarthe e presidente do grupo de amizade entre a França e Portugal no Senado.

 

Entre os intervenientes que hoje estiveram no Senado francês para falar sobre as relaçoes entre Portugal e França estiveram o presidente do Senado, Gérard Larcher, os embaixadores de Portugal em França, Jorge Torres Pereira, e a embaixadora de França em Portugal, Hélène Farnaud-Defromont, assim como empresários, advogados e consultores de empresas francesas e portuguesas.

 

Com a França a posicionar-se como o segundo cliente de bens a Portugal e o primeiro cliente a nível de serviços, os empresários franceses procuram agora novas oportunidades nomeadamente através do Plano de Recuperação e Resiliência e apostando em parcerias com empresas nacionais.

 

"As empresas francesas não estão só à procura de um distribuidor ou um fornecedor em Portugal, estão à procura de parcerias tecnológicas ou financeiras e mesmo em países terceiros, como o Brasil", explicou Richard Gomes.

 

Este Fórum serve também para colocar as empresas em contacto, com encontros bilaterais promovidos em B2B hoje e na sexta-feira em formato presencial e através de videoconferência.

 

Para Richard Gomes, mesmo com um mercado já conhecido para as empresas francesas, continua a ser importante ter interlocutores em Portugal devido à língua, mas também à cultura.

 

"Há uma dificuldade que as empresas francesas nos falam muito em Portugal que tem a ver com a dificuldade que as empresas portuguesas têm de dizer não, ficando depois complicado perceber se o negócio deve avançar ou não e nós temos de descodificar estas questões culturais", detalhou.

 

O escritório da Business France continua a crescer em Portugal, adicionando já em novembro mais um funcionário ao seu escritório em Lisboa.

Partilhar