NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

No 1.º trimestre do ano o total de área contratada no mercado de escritórios do Porto e Grande Porto foi de 2.940 m² num total de 8 operações registadas.

Comparativamente ao período homólogo, verifica-se uma queda de 81% no volume de área colocada (menos 12.357 m²) e uma redução de 20% no total de operações (menos 5 operações que no mesmo período de 2020). Simultaneamente, “verifica-se também um decréscimo no valor de superfície média contratada por transacção, cifrando-se este actualmente nos 368 m²”. Essas conclusões são do último estudo sobre o mercado de escritórios na região realizado pelo Predibisa, que mediou três transacções registadas com maior área bruta locável no trimestre .

 

A zona do Central Business District da Boavista continua a ser responsável pela maior absorção, com mais de 85% da área total colocada na cidade (1.890 m²) e por metade das operações registadas (quatro em oito). Segue-se a zona Oriental com 254 m² e o CBD da Baixa com apenas uma operação e 20 m² colocados. Fora da cidade do Porto, é a zona de Vila Nova de Gaia a responsável pela maior colocação de área com 567 m² seguindo-se Matosinhos com 209 m².

 

As empresas ligadas ao sector das “Farmacêuticas e Saúde”, foram responsáveis pela maior taxa de ocupação (29%), seguindo-se os “Serviços Financeiros” com 22%, os “Produtos de Consumo” com 20% e as empresas ligadas à “Consultoria e Advocacia” com 16%. Estes quatro sectores, foram responsáveis por mais de 87% da área total absorvida durante o primeiro trimestre.

 

Novas empresas

 

Segundo o estudo, “mais de 55% da área absorvida (1.623 m²) e metade das operações registadas (quatro em oito) prendem-se com a chegada de novas empresas ao Porto, sendo este o principal factor de motivação para a procura de novos espaços de escritórios na região no primeiro trimestre”. Uma tendência que vem sendo já verificada desde o último ano, e que se traduz na chegada de novas marcas e empresas à região, reflectindo o estatuto de elevada atractividade que o Porto goza já no exterior.

Partilhar