NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A taxa de inflação anual do Reino Unido ultrapassou os 10% em julho, atingido o nível mais alto desde 1982. Os preços dos alimentos não subiam tanto desde maio de 2001.

A variação anual do índice de preços no consumidor (IPC) do Reino Unido fixou-se em 10,1% em julho, o que representa a taxa de inflação mais alta desde 1982, segundo os dados divulgados esta quarta-feira pelo Office for National Statistics (ONS).

 

O valor compara com uma taxa de inflação homóloga de 9,4% em junho e de 2% em julho de 2021.

 

O gabinete estatístico estima que seja a taxa de inflação mais elevada desde 1982, ano para o qual "as estimativas variam de cerca de 11% em janeiro até aproximadamente 6,5% em dezembro".

 

Na variação em cadeia a inflação avançou 0,6% em julho, menos que os 0,7% de junho.

 

Incluindo os custos de habitação, a inflação fixou-se em 8,8% em julho, o que compara com 8,2% no mês anterior e representa a maior taxa de inflação desde dezembro de 1990. Em julho do ano passado este indicador tinha-se fixado em 2,1%.

 

De acordo com a nota da ONS, as maiores contribuições para a taxa de inflação anual vieram de habitação e serviços domésticos (onde se incluem a eletricidade e o gás - componentes que têm sido influenciados pela guerra na Ucrânia), transportes (nomeadamente os combustíveis) e produtos alimentares.

 

Particularmente, os preços dos alimentos e bebidas não alcoólicas viram o maior aumento desde maio de 2001. Face a julho do ano passado os preços dos alimentos cresceram 12,7% (9,8% em junho) e face ao mês anterior subiram 2,3%.

Partilhar