NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O incumprimento das pequenas e médias empresas (PME) de Macau no pagamento de empréstimos nos primeiros seis meses aumentou 32% em comparação com o semestre anterior, segundo dados oficiais hoje divulgados.

O incumprimento das pequenas e médias empresas (PME) de Macau no pagamento de empréstimos nos primeiros seis meses aumentou 32% em comparação com o semestre anterior, segundo dados oficiais hoje divulgados.

 

O valor dos empréstimos não pagos até junho atingiu 690,7 milhões de patacas (83,6 milhões de euros), indicou a Autoridade Monetária de Macau em comunicado.

 

Na mesma nota destaca-se que decresceu o montante dos novos créditos aprovado às PME pelos bancos de Macau até junho, tanto em relação ao semestre anterior (-37,5%) como em comparação com o primeiro semestre de 2021 (-61%). O total dos novos créditos aprovados foi de 7,6 mil milhões de patacas (920 milhões de euros).

 

A crise económica causada pela pandemia de covid-19, que se traduziu em restrições fronteiriças e confinamentos parciais, teve um impacto significativo em Macau, muito dependente do turismo e da indústria do jogo.

 

As autoridades avançaram com apoios às PME, com a abertura de linhas de crédito bonificado, tendo recorrido à reserva financeira, que serviu também para financiar ajudas à população.

 

Os casinos têm registado perdas sem precedentes, com efeito negativo nas contas públicas, cuja arrecadação de receita depende em cerca de 80% dos impostos arrecadados a partir da indústria do jogo.

Partilhar