NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Valor representa 29,9 milhões de euros entre janeiro e junho deste ano face aos 27,9 milhões de euros registados em igual período do ano passado.

As exportações portuguesas de bens para São Tomé e Príncipe cresceram 7,2% no primeiro semestre face ao período homólogo, enquanto as importações caíram 55,3%, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), cedidos pela AICEP à Lusa.

 

De acordo com os dados enviados pela Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), com base em informação do INE, as exportações portuguesas de bens para São Tomé e Príncipe aumentaram para 29,9 milhões de euros entre janeiro e junho deste ano face aos 27,9 milhões de euros registados em igual período do ano passado, um aumento de 7,2%.

 

Por outro lado, as importações de bens caíram 55,3% nos primeiros seis meses do ano, em comparação com igual período do ano passado, passando de 1,6 milhões de euros para 0,7 milhões de euros.

 

Deste modo, neste período, a balança comercial apresentou um saldo positivo a favor de Portugal de 29,2 milhões de euros, acima dos 26,3 milhões de euros registados no primeiro semestre de 2021.

 

Neste período, São Tomé e Príncipe posicionou-se como o 62.º cliente de Portugal, com uma quota de exportações de 0,08%, e como o 132.º fornecedor.

 

Os produtos alimentares (25,8% do total), os produtos agrícolas (19,3% do total), as máquinas e aparelhos (15,1% do total) e os metais comuns (5,6% do total) representam os principais produtos exportados por Portugal para este país neste período, com os combustíveis e minerais a apresentar o maior crescimento face ao período homólogo do ano passado (+72%; representando 2,8% do total exportado) e as peles e couros a maior quebra (-50,1%; representando 0,1% do total).

 

Nas importações, os produtos alimentares (72,5% do total), os metais comuns (13,4% do total), químicos (8,4% do total); alimentares (2,9% do total) e máquinas e aparelhos (1,5% do total) lideraram, com as pastas celulósicas e papel a registar o maior crescimento (+467%; 0,1% do total) e o vestuário e outros produtos as maiores quedas (-100%).

 

Em 2021, as exportações portuguesas de bens para São Tomé e Príncipe fixaram-se em 56,7 milhões de euros, enquanto as importações ascenderam a 2,6 milhões de euros, com um saldo da balança comercial de 54,1 milhões de euros.

No ano passado, São Tomé e Príncipe figurou como o 56.º cliente das exportações de bens portugueses e o 125.º fornecedor.

No que toca à balança comercial de serviços, as exportações portuguesas para este país aumentaram 8% em 2021 face ao ano anterior, para 9,5 milhões de euros, enquanto as importações subiram 18,7% para 19,7 milhões de euros, com um saldo negativo para Portugal de 10,2 milhões de euros.

 

No total, as exportações de bens e serviços de Portugal para São Tomé e Príncipe subiram 11,9% em 2021 face a 2020, para 65,8 milhões de euros.

 

Já as importações aumentaram 24,3% para 22 milhões de euros, apresentando um saldo da balança de 43,7 milhões de euros.

 

Segundo os dados cedidos pela AICEP, com base em dados do Banco de Portugal, o Investimento Direto Estrangeiro de São Tomé e Príncipe em Portugal (IDE) ascendia, em junho deste ano, a 8,9 milhões de euros, que compara com os 50,1 milhões de euros de Investimento Direto Português no Estrangeiro (IDPE) neste país registados no mesmo mês.

 

Se o IDE representa um aumento de 1,3% face ao mesmo mês do ano passado, o IPDE subiu 13,6%.

 

Deste modo, o saldo foi positivo para Portugal em 41,2 milhões de euros em junho deste ano, enquanto no período homólogo de 2021 se fixou em 35,3 milhões de euros.

Partilhar