NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Começa já esta terça-feira, 30 de agosto, mais uma edição da Munich Fabric Start, que até 1 de setembro levará à capital bávara centenas de coleções outono-inverno divididas entre os tecidos e acessórios e uma nova área de sourcing. Entre as empresas presentes, duas dezenas são portuguesas.

António Manuel de Sousa, Aspecto, Calvi Wholesale, Casa Da Malha, Fitecom, Lemar, Marjocri, MMRA, Modelmalhas, Paulo De Oliveira, Riopele, Sanmartin, SM Senra, Somelos, Tessimax, TMG Lab, Top Trends, Tricothius, Trimalhas, Troficolor são as empresas da comitiva ‘From Portugal’ a mais uma edição da Munich Fabric Start. Otimismo parece ser o denominador comum da comitiva.

 

É o caso da Troficolor, empresa para a qual “a estratégia de internacionalização passa por uma aposta forte na captação de novos clientes e consolidação das relações comerciais existentes neste mercado”. Mas a expetativa é a visita de clientes de outros mercados, refere Daniel Azevedo, export sales manager da empresa. Algodão BCI, algodão orgânico com certificação GOTS/OCS, algodão e polyster reciclados com certificação GRS/RCS, TencelTM e Hemp marcarão presença nas prateleiras.

 

Já a Lemar regressa ao certame para “potenciar as coleções num contexto de maior proximidade”, diz José António Ferreira, gestor para o mercado alemão. “Sabemos que é um mercado com uma consciência ambiental bem presente e esta onda sustentável, apesar de tendência, é muito mais do que isso! Para responder a essa necessidade de materiais com menor impacto ambiental iremos apresentar os nossos tecidos produzidos com fibras recicladas e com decomposição acelerada”, revela.

 

A TMG Lab espera “uma edição com muita procura de peças confecionadas em Portugal”, diz Alexandra Ferreira, colaboradora do grupo. Entre as novidades, destaca as “integrações diretas de fibras naturais e sintéticas recicladas, mantendo o foco nas alternativas de algodão orgânico, BCI, entre outros. Adicionamos esta estação fibras provenientes de desperdício da indústria alimentar, banana e ananás”, refere.

 

A marcar presença na área do sourcing, é com o objetivo de ampliar a carteira de clientes que a SM Senra volta a estar na Munich Fabric Start. “Vamos apresentar peças em vestuário com confeção cuidada e malhas eco-friendly, promovendo o que de melhor temos na indústria têxtil portuguesa: know-how industrial, inovação, qualidade flexibilidade e recursos humanos especializados”, diz Sílvia Senra, responsável da empresa.

 

Também a Top Trends está otimista para esta edição da Munich Fabric Start, onde espera alargar contacto com clientes alemães, mas também de países como a Holanda, Bélgica e Áustria. “Neste momento, com os mercados e clientes que temos em carteira, que felizmente vem aumentado, temos boas perspetivas para o ano de 2023”, explica Daniel Simões, general manager da empresa.

 

No total, a organização prevê que estejam em Munique mais de 800 empresas dos sectores têxtil e do vestuário e dos acessórios.

 

A participação das empresas portuguesas PME na Munich Fabric Start é uma iniciativa da Selectiva Moda e da ATP – Associação Têxtil e Vestuário de Portugal, que visa promover a internacionalização das empresas portuguesas da área da Moda. O projeto “From Portugal” é co-financiado pelo Portugal 2020, no âmbito do Compete 2020 – Programa Operacional da Competitividade e Internacionalização e de Lisboa 2020 – Programa Operacional Regional de Lisboa, tendo um montante de apoio elegível de 6.648.794,78 €, dos quais 3.735.305,80 € são provenientes da União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Partilhar