NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A economia de Macau retraiu-se 3,2% no primeiro trimestre do ano, em comparação com o período homólogo do ano passado, terminando assim com uma trajetória de crescimento de dez trimestres consecutivos, foi hoje anunciado.

Segundo a Direção dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC) de Macau, a razão para a desaceleração económica prende-se principalmente com a diminuição da procura interna e externa.

 

Apesar do crescimento de 21,2% do número de visitantes no primeiro trimestre, para 10,5 milhões, as exportações de serviços diminuíram 0,3%.

 

As exportações de serviços do jogo retraíram-se 0,6% e as exportações de outros serviços turísticos diminuíram 0,3%.

 

Já a procura interna caiu 9,4%, em relação aos três primeiros meses do ano passado, devido à "acentuada queda do investimento em ativos fixos", apontaram as autoridades.

 

As importações de serviços registaram uma queda de 20,9%, em comparação com os meses de janeiro a março de 2018.

 

Por outro lado, "a despesa de consumo privado e a despesa de consumo final do Governo registaram subidas respetivas de 2,1% e 4,1%, compensando parte do declínio verificado na desaceleração económica", segundo a mesma nota.

 

As autoridades de Macau apontaram ainda que o primeiro trimestre apresentou "um comportamento frágil no comércio de mercadorias", já que as importações aumentaram apenas 2,0%, "devido ao efeito conjunto da retração do aumento da despesa de consumo privado, da contínua descida do investimento, bem como da descida das despesas dos visitantes".

 

As exportações de bens diminuíram 1,8% no período em análise, acrescentou a DSEC.

Partilhar