NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A sociedade portuguesa RTE Poland, Sp. z o.o.,  vai construir uma moderna fábrica de bicicletas em Brześć  Kujawski.

A Zona  Económica Especial da Pomerânia  emitiu uma decisão positiva para dar apoio ao projeto de investimento, relativamente à isenção do imposto IRC.

 

O  investimento tipo  greenfield  vai custar cerca de  80 milhões de Pln.  A sua primeira fase de implementação vai proporcionar  aproximadamente  70 novos  postos de trabalho.

 

O projeto visa aumentar a capacidade de produção do Grupo RTE na Europa em  500 mil bicicletas por ano,   o que  resulta do  acordo com a cadeia francesa de lojas - Decathlon.

 

A nova fábrica em Machnacz  vai  abastecer  clientes da Europa Central e do Leste, assim como de alguns  países da  Europa Ocidental.

 

De acordo com os planos do investidor, a fábrica será equipada com as "tecnologias muito avançadas". Para além de máquinas e dispositivos altamente automatizados, o investidor  aplicará uma série de soluções inovadoras - da área da Indústria 4.0 – essencialmente  nas linhas  de produção.

 

...Sobre a escolha  do sítio para a realização do investimento decidiram – a localização  adequada em termos de transportes e vias de acesso, assim como os regulamentos de apoio a  novos investimentos que entraram em vigor desde  julho 2018  no âmbito de auxílios de Estado – afirmou o vice-presidente da ZEE da Pomerânia, Paweł Lulewicz.

Ele sublinha que o novo sistema  alterou as regras de funcionamento  das ZEE abolindo as suas fronteiras. Isto significa que o investidor pode ficar isento do IRC, por 10 ou 15 anos, independentemente do local do seu investimento.

 

O novo sistema diversificou também os critérios de concessão de ajudas, que dependem da qualidade de investimentos ou da situação económica da região.

As preferências  abrangem as  áreas com o maior desemprego, as  pequenas e médias municipalidades que estão a perder importância ao nível social e económico, assim como as localidades rurais.

Quanto maior o desemprego, mais apoios e o menor valor do investimento exigível para a concessão de incentivos.

Partilhar