NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Segundo o mais recente relatório da OMT – Organização Mundial do Turismo, as exportações geradas pelo turismo internacional atingiram os 1,7 biliões de dólares americanos em 2018, num crescimento de 4% comparativamente ao valor atingido em 2017.

Pelo sétimo ano consecutivo as exportações em viagens cresceram acima das exportações de mercadorias (+3%), reflectindo a elevada procura por viagens ao estrangeiro. O valor atingido em 2018 representa 29% da exportação mundial de serviços e 7% de toda a exportação de bens e serviços. Os dados revelados pela OMT mostram a consolidação do turismo internacional entre os cinco principais sectores económicos do mundo, atrás da produção de produtos químicos e indústria combustível, mas à frente das indústrias alimentar e automóvel.

 

“Mais do que crescer em volume, devemos crescer em valor”, afirma Zurab Pololikashvili, secretário-geral da OMT, para acrescentar: “agrada-nos verificar que tanto economias avançadas como emergentes, em todo o mundo, estão a beneficiar com o crescimento das receitas turísticas”. O total das exportações do turismo internacional inclui 1.448 mil milhões em receitas (os gastos dos visitantes nos destinos) e 256 mil milhões em serviços de transporte internacional de passageiros.

 

As receitas do turismo internacional aumentaram 4% em termos reais, um valor consistente com o crescimento de 6% nas chegadas de turistas a destinos internacionais em 2018. Por regiões, a Ásia-Pacífico liderara o crescimento, com um aumento de 7% nas receitas, seguindo-se a Europa (+5%), o Médio Oriente (+3%), África (+1%) e América (0%).

 

Como mercados emissores, a França e a Rússia registaram um crescimento de 11% nos gastos no estrangeiro, seguindo-se a Austrália com uma subida de 10%. A China foi o país emissor que mais gastou no estrangeiro, num total de 277 mil milhões de dólares, num crescimento de 5%. Os viajantes dos Estados Unidos da América gastaram 114 mil milhões de dólares nas suas viagens ao estrangeiro, um aumento de 7%.

Partilhar