NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Os tailandeses que adquiriram a Partex não querem ficar por aqui. O plano é aumentar o número de barris vendidos para os 400.000 por dia em 2020.

A PTT Exploration and Production (PTTEP), a petrolífera tailandesa que adquiriu a Partex, planeia fechar mais aquisições ainda este ano, revelou o CEO da empresa, Phongsthorn Thavisin, à Bloomberg.

 

"Temos mais alguns negócios para os quais estamos a olhar e a avaliar se há uma correspondência com a nossa estratégia e em termos financeiros. Se tudo se conjugar, avançaremos", revelou o CEO numa entrevista à agência de notícias em Lisboa.

 

O objetivo da empresa tailandesa é aumentar as vendas para 400.000 barris por dia em 2020, acima dos atuais 320.00 barris. "Tentaremos manter aumentos na produção através de crescimento orgânico", explicou Phongsthorn.

 

O responsável da empresa tailandesa diz ainda ter "algum dinheiro que sobra em caixa" e que novas aquisições podem acontecer até ao final deste ano ou no início do próximo ano.

 

Desde o início de 2019, a PTTEP já fechou duas negociações. Em março, comprou ativos na Malásia por 2,13 mil milhões de dólares à Murphy Oil, e agora ficou com a Partex por 622 milhões de dólares, o equivalente a 553 milhões de euros. No ano anterior já havia despendido 750 milhões de dólares em ativos da Royal DutchShell no Golfo da Tailândia.

 

Citigroup aprova preço da Partex

 

A casa de investimento Citigroup considera que o preço entregue pelos tailandeses à Fundação Calouste Gulbenkian não é "demasiado excessivo", pelo menos "da perspetiva da produção e reservas", tendo em conta a realidade da empresa.

Partilhar