NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

“Estes resultados foram influenciados pelo efeito do período de férias associado à Páscoa, que este ano ocorreu em meados de Abril, enquanto no ano anterior teve influência repartida entre Março e Abril”, assinala o INE ao revelar que em Abril o alojamento turístico português teve taxas de crescimento do nível que registou até 2018.

A informação do Instituto diz que o alojamento turístico teve um aumento hóspedes em 9,1%, com +10,5% de residentes em Portugal e +8,2% de residentes no estrangeiro.

 

Em dormidas, o crescimento foi ainda mais forte, em 9,5%, com +16% do mercado doméstico e +7,1% dos mercado internacionais, evidenciando um forte aumento da estada média dos residentes em Portugal (+5,1%, para 1,92 noites), mas ainda quebra do tempo médio de permanência dos residentes no estrangeiro (-1,1%, para 2,97 noites), ainda assim menor que no primeiro trimestre.

 

E mais forte que os aumentos de hóspedes e dormidas foi a subida das receitas, que aumentaram 9,6%, para 331,5 milhões de euros, com aumento em 10,3% dos proveitos de aposento, que reflectem essencialmente os preços médios de quartos e atingiram 245 milhões de euros.

 

A RevPAR, que pondera o preço médio pela taxa de ocupação, subiu 5,3%, para 46,2 euros.

Partilhar