NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O negócio do banco liderado por Licínio Pina reforçou-se em 12,8% no primeiro trimestre face ao período homólogo. A carteira de crédito ascendeu a 10 mil milhões e os depósitos a 14 mil milhões.

O Crédito Agrícola aumentou os lucros em 18% no primeiro trimestre do ano para 43,5 milhões de euros. O reforço do negócio bancário, que contribuiu com 36,6 milhões de euros, graças ao aumento do crédito e do número de clientes impulsionou os resultados líquidos.

 

O negócio bancário da instituição liderada por Licínio Pina reforçou-se em 12,8% no primeiro trimestre face ao período homólogo. A carteira de crédito ascendeu a 10 mil milhões de euros (mais 6,2%) e e os depósitos bancários totalizaram 14 mil milhões de euros, tendo crescido 10,2%.

 

A margem financeira manteve-se praticamente inalterada (mais 1%) com um ligeiro aumento de 800 mil euros, “o que se justifica essencialmente pela redução dos juros e encargos similares” em 7,6 milhões de euros, segundo explicou o banco em comunicado.

 

O Crédito Agrícola fechou o trimestre com um rácio common equity tier 1 (CET1) de 15% e reduziu o rácio bruto de non performing loans (NPL) em 3,9 pontos percentuais para 9,8%.

 

“A 25 de maio de 2019, foram eleitos os novos órgãos sociais para o triénio 2019-2021, tendo Licínio Pina sido reconduzido no cargo de Presidente do Conselho de Administração Executivo da Caixa Central com 83% dos votos dos presentes na Assembleia Geral Eleitoral”, acrescentou ainda o banco.

Partilhar