NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A balança comercial brasileira registou superávit de 6,422 mil milhões de dólares (5,71 mil milhões de euros) em maio, crescendo 5,8% em relação ao período homólogo do ano passado, anunciou hoje o Ministério da Economia.

De acordo com a tutela, as exportações do Brasil somaram 21,394 mil milhões de dólares (19,03 mil milhões de euros) no quinto mês deste ano, um aumento de 5,6% em relação a maio de 2018.

 

Este foi o terceiro melhor resultado de sempre para o mês, perdendo apenas para maio de 2017, quando se registou um superávit recorde de 7,661 mil milhões de dólares (6,81 mil milhões de euros) e de 2016, com um superávit de 6,430 mil milhões de dólares (5,72 mil milhões de euros).

 

Com o resultado obtido no mês passado, a balança comercial brasileira (diferença entre exportações e importações) acumula superávit de 22,806 mil milhões de dólares (20,29 mil milhões de euros) nos cinco primeiros meses de 2019.

 

Porém, esse é um valor 5,9% inferior ao registado no mesmo período do ano passado.

 

As vendas para o estrangeiro recuperaram em maio, após uma queda a partir de fevereiro, com destaque para as exportações de produtos manufaturados que cresceram 29,5%, e semimanufaturados, num aumento de 15,4%.

 

As vendas de produtos básicos caíram 3,9%, com uma diminuição das exportações de cobre, soja em grão e farelo de soja.

Quanto às importações, estas totalizaram 14,972 mil milhões de dólares (13,32 mil milhões de euros), um crescimento de 7,8% em relação a maio de 2018.

 

Combustíveis e lubrificantes foram os produtos mais importados.

 

Para este ano, a projeção do executivo brasileiro é de um superávit de 50,1 mil milhões de dólares (44,5 mil milhões de euros), conforme estimativas divulgadas em abril, e que devem ser revistas no próximo mês.

Partilhar