NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

No âmbito dos preparativos da presença de Marrocos na Bienal Ibérica do Património Cultural de outubro, na qualidade de país convidado, o presidente da Câmara Municipal de Loulé, Vítor Aleixo, acompanhado da diretora municipal, Dália Paulo, e da diretora da Bienal, Catarina Valença Gonçalves, deslocaram-se a Rabat para uma série de reuniões bilaterais com os responsáveis da representação marroquina.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros de Marrocos irá coordenar a representação na Bienal em Loulé, que será igualmente composta pelo Ministério da Cultura e pelo Ministério do Turismo e do Artesanato. 
 
Assim, a comitiva portuguesa teve oportunidade de reunir com a diretora da Cooperação e da Ação Culturais do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Marrocos, com o diretor financeiro do Ministério do Turismo, com o diretor de Prospeção da Maison de l’Artisan (Casa do Artesão) e ainda com o diretor do Instituto Nacional de Ciências Arqueológicas e do Património.
 
Em nota de imprensa a autarquia diz "que foi ainda possível colocar a embaixadora portuguesa em Marrocos, Rita Ferro, acompanhada do representante da AICEP em Rabat, Rui Cordovil, e do conselheiro cultural, Vítor Marcelino, a par dos acordos alcançados relativamente ao formato exato dessa importante presença de Marrocos no evento de referência do setor do património cultural".
 
Marrocos far-se-á representar na Bienal, em Loulé, não somente com um espaço físico com demonstração ao vivo de artes e ofícios tradicionais selecionados, mas também ao nível institucional e técnico, tanto na forma dos representantes dos ministérios referidos, como através de especialistas que virão apresentar o estado da arte da intervenção em património cultural em Marrocos – ao nível da investigação, da gestão patrimonial, das artes e ofícios e do turismo-cultural com seminários, workshops e reuniões bilaterais.
 
Deste modo Loulé recebe esta representação marroquina do campo do património cultural, inédita em Portugal, visando estimular as relações entre os dois países no campo do património cultural.
 
Vítor Aleixo, autarca de Loulé, sublinha a importância destes encontros: “as reuniões com as entidades marroquinas foram bastante positivas e começaram a delinear-se possíveis parcerias para depois da Bienal, no âmbito do património cultural, um repto já lançado por Cláudio Torres e que agora pode ser concretizado”.
 
Refira-se que a Bienal Ibérica é o único certame europeu da área de património cultural que resulta de uma fusão entre dois eventos de dois países distintos, criando um certame à escala ibérica e com projeção europeia. Desde final de 2018 que a Bienal está integrada na HERIFAIRS - rede europeia de feiras do património que conta também com a participação de Itália, Áustria e Espanha.
 
A edição de 2019 é um projeto da Spira – agência de revitalização patrimonial e tem a Câmara Municipal de Loulé como entidade promotora.
 
Inscrições e toda a informação sobre o evento em www.bienalarpa.pt

Partilhar