NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), Luís Castro Henriques, afirmou hoje, em declarações à Lusa, que a abertura do centro Customer Experience da Cisco em Lisboa "é um momento de grande vitória".

Luís Castro Henriques falava à Lusa à margem da abertura oficial do centro Customer Experience (CX) da Cisco em Lisboa, o qual vai servir a Europa, Médio Oriente, África e Rússia (EMEAR).

 

Em conjunto com Bruxelas e Cracóvia, o novo centro CX da Cisco em Lisboa vai permitir "os melhores serviços técnicos, gestão de rede e otimização através da EMEAR", de acordo com a tecnológica.

 

"É um momento de uma grande vitória", afirmou o presidente da AICEP.

 

"A Cisco já era em Portugal uma das melhores empresas para trabalhar, uma empresa com uma operação estabelecida com bons resultados e o facto de conseguirmos trazer negócios completamente diferentes, de escala global e que vão aumentar muito significativamente a operação de uma empresa como a Cisco em Portugal (...) só mostra como somos competitivos e como continuamos a conseguir trazer novas atividades mesmo em empresas que já têm uma atividade estabilizada em Portugal", prosseguiu o responsável.

 

"Também acho que há aqui algum reconhecimento para a Cisco Portugal, porque é graças ao facto de ser uma empresa tão boa mesmo dentro da própria empresa a nível global que faz com que a gestão de topo" da multinacional norte-americana "olhe para Portugal como um destino onde consegue encontrar grande talento", apontou.

 

Por isso, "no final do dia (..) é uma grande e enorme vitória mais uma vez do talento português", sublinhou.

 

Questionado se o reforço da Cisco em Portugal serve de 'cartão de visita' a outras empresas internacionais que estejam a olhar para o mercado português como opção de aposta, Luís Castro Henriques foi perentório: "Sem dúvida".

 

E acrescentou: "Às vezes os namoros com as novas empresas são mais rápidos do que com empresas que já cá estão", mas no final "têm todos acabado em bem".

 

A abertura oficial do centro, que poderá contratar até 200 engenheiros nos próximos tempos, contou com a presença do ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira.

Partilhar