NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Inspirada na maior floresta tropical do mundo, a nova coleção Amazónia da portuguesa Vista Alegre reúne mais de 70 peças em porcelana, cristal, faiança e grés. E é linda.

Do tupi araticum-paná (significa “fruta mole”), o araticum-do-brejo cresce espontâneo nas áreas costeiras da Amazónia. É considerado um poderoso anti-inflamatório, o seu tronco é utilizado na confeção de tecidos e os seus frutos usados para fazer sumos. Diante de nós, numa mesa posta a preceito, os pratos, desenhados à mão, da nova coleção da Vista Alegre, estão cheios de pormenores com significado: a ema, a maior espécie de ave no Brasil, figura também no brasão de armas da família Pinto Basto, fundadora da marca portuguesa; o tucano-de-papo-branco, cujo canto é um dos mais audíveis na floresta amazónica, e a “canoinha”, talismã de proteção e de prosperidade, utilizada em adornos e na decoração. A fauna e a flora da maior floresta tropical – berço de metade da biodiversidade do planeta, que solta 20% do oxigénio que respiramos e onde está 20% da água doce mundial – inspiraram uma coleção que junta, pela primeira vez, as três marcas do grupo: Vista Alegre, Bordallo Pinheiro e Casa Alegre. São mais de 70 peças, que incluem serviços de jantar, chá e café, objetos de decoração e iluminação, em porcelana, cristal, faiança e grés (a partir de €11).

 

Mais aqui

Partilhar