NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A consultora Deloitte publicou um relatório com uma análise do impacto da recessão económica global, causada pela pandemia, nos primeiros seis meses do presente ano, nas indústrias mexicanas.

Com a paragem da atividade económica durante a pandemia e o confinamento social, a economia mexicana enfrentou um cenário atípico na primeira metade do ano.

 

O isolamento social intensificou o uso de tecnologias da informação de forma a manter algumas atividades produtivas e, principalmente, para atenuar os efeitos da pandemia. Deste modo, o setor das telecomunicações, assim como a indústria alimentar, tiveram um crescimento positivo no primeiro trimestre do ano, de 6,4 e 2 por cento, respetivamente.

 

Também no caso do setor de energia e das atividades governamentais se revelou um aumento relativamente ao período homólogo.

 

Contudo, devido à redução da atividade económica a nível global e à paragem de produção desde abril, alguns setores viram as suas atividades diminuídas. A pandemia veio trazer um decréscimo acentuado na indústria do turismo a nível global, de 10,6 por cento no caso do México. No caso da construção e manufatura, setores chave para o país, registaram-se decréscimos de 8,2 e 2,9 por cento, respetivamente.

 

Os setores mais expostos à redução da interação social, como o turismo e serviços, são aqueles vulneráveis a quebras mais fortes até ao fim do ano.

 

Relatório completo aqui.

Partilhar